sábado, 13 de setembro de 2008

SEGURANÇA E TRANSPARÊNCIA EM SERVIÇOS DE TÁXI


Gato por lebre, as aparências enganam ou “muitos têm diamante no bolso e pensam que é carvão”, são algumas das expressões usadas para designar o quanto estamos certos ou errados numa tomada de decisão.

Por Luiz Correia – 13/09/2008

Em uma escolha entre produtos similares, o risco do erro é menor que entre serviços da mesma natureza. No caso particular do táxi, existe um momento transitório entre serviço e produto. O que vem aumentar a possibilidade de uma boa ou má escolha.

Por definição, entendemos serviço como “atividade econômica de que não resulta produto tangível, (...). Ex.: transporte, (...), atividades de profissionais liberais, (...)”. (Dicionário Aurélio)

Entenda-se aqui o produto - o carro utilizado – como o objeto do serviço executado pelo profissional autônomo, o taxista. Para se obter uma satisfação plena na utilização do táxi, é necessária uma combinação justa desses dois fatores: o homem e a máquina.

Veículos novos sejam grandes ou pequenos, mas que sejam adequados às necessidades do usuário, associados a profissionais qualificados é fato gerador da satisfação plena do cliente. O pagamento pelo serviço é realizado com igual satisfação, mesmo o preço sendo cobrado pelo taxímetro, em corridas urbanas, ou previamente acertado em casos de viagens ou passeios.

Cuidado com os descontos

Muitos taxistas usam a estratégia do preço baixo para atrair o usuário pelo bolso. Uma das partes mais sensíveis do corpo humano.

É mais conveniente, em particular, para os profissionais que não querem fazer nenhum esforço além de dirigir o veículo até o destino, sem nenhum critério de segurança, higiene e conforto.

Atualmente muitas empresas de táxis oferecem descontos na tentativa de encobrir os péssimos serviços que prestam através de seus agregados. Estes por sua vez, não questionam tais práticas, pois sentem o imediatismo da diária a fim de cumprir suas obrigações sejam pessoais ou profissionais. Pagar a mensalidade da empresa é uma delas.

Sendo assim, cabe aqui uma sugestão: não troque Qualidade por Preço Baixo. Desconfie de empresas ou profissionais que “vendem” descontos.

Compre sempre Serviços e/ou Produtos com Qualidade, nem que tenha que pagar um pouco mais que aquele que oferece um “negócio da China”. Muitas vezes é bom lembrar de um conselho de avó: “O barato sai caro”. Valorize o seu diamante no bolso, ele não é carvão.

Afinal, segurança, conforto e bom atendimento não têm preço. Tem o “algo mais” que você procura...

Nenhum comentário: