quarta-feira, 16 de março de 2011

PARAIBA HOJE: "Cabaceiras se destaca nacionalmente"

"Santo de casa não faz milagres" ou a "Galinha do vizinho é sempre a mais gostosa" são dois ditados populares que poderiam "ilustrar" o descaso de nossos representantes no cenário político nacional, com relação ao desenvolvimento do turismo sustentável na região nordeste, em particular em municípios como Cabaceiras no interior da Paraíba.

É preciso que outros vejam e "valorizem" o que existe. A cegueira da indiferença dos supostos responsáveis pela coisa pública, só nos permite dizer que muitos têm diamante no bolso e pensam que é carvão.

Leiam a reportagem completa de Eduardo Vessoni sobre uma das muitas riquezas que a Paraíba tem, mas que muitos só conseguem enxergar aridez e com muita miopia.
Luiz Correia - Táxi Company do Brasil

A cidade de Cabaceiras, no cariri paraibano, se destaca nacionalmente. O município está em destaque no site de notícias UOL. Em uma reportagem especial assinada pelo jornalista Eduardo Vessoni, a Roliúde Nordestina aparece como a 'principal estrela do interior do estado' e em fotos que dá destaque ao Centro Histórico, ao Lajedo de Pai Mateus e a história do cinema na pequena cidade paraibana.

Confira abaixo matéria na íntegra publicada pelo UOL.

Cabaceiras, no interior da Paraíba, é a 'roliúde' brasileira e terra de outros cenários cinematográficos

Parece até coisa de cinema. Um casario colorido que recorta o marrom árido do Cariri paraibano; um bode que é rei e um dos mais respeitados símbolos da região; uma paisagem seca que se veste de verde em épocas de chuva e transforma aquele território em um dos cenários mais surpreendentes de toda a Paraíba.

O letreiro em letras garrafais na entrada da cidade onde se lê 'Roliúde Nordestina' não deixa dúvida: o visitante acaba de chegar na mais cinematográfica das cidades brasileiras.

Localizada a 166 km de João Pessoa, em pleno semiárido paraibano, a pequena Cabaceiras é a principal estrela do interior daquele estado. Suas casas bem preservadas do século 18 e o baixo índice anual de chuvas transformaram essa simpática cidade de 5 mil habitantes na 'Roliúde nordestina'. Entre documentários e longas metragens, a região já contabiliza mais de 30 produções.

A população local dona de uma simpatia única e o centro histórico dessa cidade onde o tempo parece não ter vontade de seguir adiante foram a inspiração (e cenário) para filmes nacionais como 'O Auto da Compadecida', 'Cinemas, Aspirinas e Urubus', 'O Romance' e 'Canta Maria'.

Quem passa diante do casarão onde Maria Odacide Barros mora com a família nem imagina que o salão do interior dessa construção de 1893 abrigou o bar que ambientou cenas hilárias entre Vicentão e o medroso Chicó, interpretados, respectivamente, pelos atores Márcio Garcia e Selton Melo na minissérie 'O Auto da Compadecida', dirigida por Guel Arraes.

“Na época das gravações era tudo bem melhor por aqui. A cidade toda se animava e era muito comum encontrar os atores nas ruas e nos bares”, relembra, nostálgica, a filha Janine de Barros.

Cabaceiras

O casario bem preservado de Cabaceiras, a 166 km de João Pessoa, a capital da Paraíba, já serviu como cenário para diversas produções cinematográficas nacionais. Por essa rua da foto, o protagonista de 'Cinemas, Aspirinas e Urubus', interpretado pelo ator alemão Peter Ketnath, passou vendendo o produto que dá nome ao filme Eduardo Vessoni/UOL

Para a secretária de turismo local, Jovineide Pereira Ribeiro, a obra foi um divisor de águas para a cidade pois a população passou a ter uma renda extra proveniente do aluguel de casas (ou partes delas), empréstimo de objetos pessoais ou decorativos e até da figuração em algumas cenas.

Que o diga o aspirante a ator José Nunes, o famoso Zé do Cila. Esse simpático e falante senhor de 65 anos administra uma loja tradicional de artesanato que 'vende de tudo', mas parece mesmo não esquecer da época em que trabalhou como figurante no belo 'Cinema, Aspirinas e Uurbus'.

“Eu não tenho riquezas, mas agora eu sou uma celebridade”, confessa Nunes, que também trabalhou como dublê do ator Rogério Cardoso que interpretava o Padre João, em 'O Auto da Compadecida'.

Mas se em terras caririenses todo mundo pode ser ator, nem o bode fica de fora e, anualmente, um deles vira até rei.

Durante os três dias da 'Festa do Bode Rei', a região assiste a uma curiosa homenagem a esse caprino símbolo da região que inclui desfiles do animal para a escolha da Família Real (Isso mesmo. Em Cabaceiras coroa-se um bode local que será o monarca da cidade até a próxima festa), exposições, apresentação de grupos folclóricos, competições e até preparação de pratos típicos, como a 'bodioca', uma tapioca recheada com a carne do (pobre) homenageado. O evento marca também a abertura do São João na região do Cariri.

E se o que 'tava' encantado 'inda' vira fabuloso, como se diz em uma das letras da trilha sonora do documentário sobre o surfista Fábio Gouveia, outra figura paraibana famosa mundo afora, o cenário natural de Cabaceiras não poderia deixar de encantar o visitante que visita aquelas terras distantes e isoladas que um dia ficaram conhecidas, injustamente, por sua pobreza e aridez.

Para o viajante (cinéfilo ou não) qualquer esquina daquela caatinga de visual fotogênico é capaz de fazê-lo sentir dentro de algum set natural de cinema. Atrativos naturais como o Lajedo do Pai Mateus e a Saca de Lã, duas misteriosas áreas rochosas da Serra da Borborema, garantem sensações que nem o cinema é capaz de garantir.

A primeira é um impressionante 'jardim' de milenares blocos de granito arredondados que chegam a pesar 45 toneladas cada. Aquelas imensas bolas de pedra, que no pôr do sol enlouquece qualquer fotógrafo amador, parecem tirados de alguma obra de ficção científica. O local, que os estudiosos acreditam ter origem vulcânica, abriga a pedra que dá nome à atração devido a um suposto ermitão que morou na região e outra curiosa formação rochosa cujo nome 'Capacete' dispensa explicações demoradas.

A Saca de Lã, cujo melhor horário de visita é pela manhã, é outra parada que chega a paralisar e tirar o fôlego de quem cruza a pequena trilha entre mandacarus, facheiros e xique-xiques. Seus inacreditáveis blocos empilhados uns sobre os outros ainda confundem as ideias até dos guias locais que, durante o passeio, não se cansam de lembrar as histórias protagonizadas por personagens folclóricos locais como Comadre Fulozinha, a guardiã da mata que costumam fazer travessuras para defender a Natureza da ação do Homem.

Em Cabaceiras tudo parece mesmo coisa de cinema.

Fachada da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, uma das construções originais utilizadas nas gravações da minissérie 'O Auto da Compadecida'
Localizada na vizinha Ribeira, um distrito de Cabaceiras, essa cooperativa criada em 1998 é conhecida pela produção de produtos feitos em couro como bolsas, carteiras, sandálias, chapéus e artesanato. Famosa por não utilizar químicos na elaboração do couro, a empresa recebe grupos de turistas que visitam a região e também envia peças para São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e todo o Nordeste. Distrito de Ribeira s/n Tel: (83) 3356-9001. De seg. a sáb. das 8h às 12h e das 14h às 17h. artezaribeira@bol.com.br

Artesanato do Zé de Cila

A disposição dos produtos da loja é bastante confusa e o visitante nem sempre sabe o que é comercializado e o que é de uso pessoal do proprietário. E talvez esse seja o melhor atrativo desse pequeno e tradicional estabelecimento administrado pelo 'ator' José Nunes, o Zé de Cila que atuou como figurante em produções cinematográficas rodadas em Cabaceiras, como Cinema, Aspirinas e Urubus, Auto da Compadecida e Canta Maria. 'Seu Cila', como ele é conhecido, costuma contar longas e boas histórias sobre a sua experiência como ator e mostrar um invejável portfólio com revistas e recortes de jornais sobre os filmes gravados em Cabaceiras. Av. 4 de Junho, 116. Diariamente, a partir das 7h.

Cadeia Pública

Restaurada em 2003, a pequena cadeia foi cenário da delegacia administrada pelo personagem Cabo Setenta, interpretado pelo ator Aramis Trindade, que na época não tocava com nenhum preso de verdade. No local, que um dia abrigou o temido cangaceiro Antônio Silvino, funciona, atualmente, um centro comunitário com acesso à internet. Av. 4 de Junho, s/n (ao lado do museu). Diariamente, das 9h às 17h. Entrada grátis.

Centro Histórico

O bem preservado casario de Cabaceiras já vale a visita à cidade. Casas que serviram de cenários para diversas produções de cinema, a Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição e até monumentos em homenagem ao bode são poucos, mas interessantes, atrativos do centro. Para mais informações ou para a contratação de um guia local, o visitante pode se dirigir ao Museu Histórico e Cultural dos cariris paraibanos, localizado na avenida 4 de Junho. Programe-se para conhecer a região pela manhã ou no final da tarde, pois o sol forte costuma castigar no meio do dia.

Lajedo do Pai Mateus e Saca de Lã

Esses dois atrativos naturais imperdíveis estão localizados em terreno privado, no interior do Hotel Fazenda Pai Mateus, acessado por uma estrada de terra. Os guias, que podem ser contratados no próprio hotel, cobram por atração visitada e costumam dar um show de informações e de conhecimentos gerais (um serviço raro naquelas terras tão carentes de profissionais da área de turismo). Localizado a 25 km de Cabaceiras, em uma região isolada, o hotel possui um dos mais agradáveis (e bem estruturados) serviços de todo o Cariri. Mais informações: Tel: (83) 3356-1250 / www.paimateus.com.br

Memorial Cinematográfico

Fundado em 2007, após a fama cinematográfica que Cabaceiras ganhou em todo o Brasil, esse espaço que já serviu também como sede do Clube Atlético da cidade e de sala de projeção de filme mudo abriga, atualmente, um pequeno museu com fotos e textos relacionados às produções rodadas na cidade. Rua Coronel Maracajá, s/n. Diariamente, das 8h às 12h; das 14h às 17h. Entrada grátis.

Museu Histórico e Cultural dos cariris paraibanos

Transformada em museu desde 2003, essa casa servia de residência durante os mandatos dos prefeitos eleitos. O acervo é formado por utensílios utilizados pelos antigos índios cariris, fósseis encontrados na região e objetos doados pela população local. Av.. 4 de Junho, s/n. Diariamente, das 9h às 17h. Entrada grátis.

'Roliúde Nordestina'

Esse curioso letreiro de 80 metros de comprimento por cinco de altura pode ser visto a poucos metros da entrada da cidade, no lado esquerdo da estrada. O atrativo foi inaugurado em 2007, após a fama que a cidade ganhou em todo o País.

Felipe Silveira

AGORA ASSISTA O VIDEO SOBRE O LAJEDO DO PAI MATEUS

Nenhum comentário: